Guimarães

O destino principal desta viagem é o Gerês, mas pelo caminho ficam duas cidades que queria bastante conhecer e já que ficavam pelo caminho, aproveitei para dar um “pulinho” a Guimarães e a Braga.

Depois de aterrar no aeroporto do Porto, fui levantar o MU (o carro) e segui para Guimarães, como cheguei bem cedo aproveitei para tomar o pequeno almoço numa pastelaria que tinha uma enorme variedade de bolos bem tentadores 🙂

Guimarães é um dos mais importantes destinos históricos do país. É considerada o “Berço da Nação”, pois aqui nasceu o primeiro rei de Portugal e, também foi neste local que se deram os acontecimentos mais marcantes que conduziram à independência de Portugal.

D. Afonso Henriques, o primeiro rei de Portugal, escolheu esta antiga cidade romana como capital do Reino de Portugal, após a sua vitória na batalha de São Mamede, em 1128.

Guimarães foi classificada como Património Mundial pela Unesco, em 2001.

O primeiro contacto com esta cidade foi feito no centro histórico. E é um prazer, para os olhos, percorrer por estas ruas estreitas do centro, pois está preservado de uma forma exemplar.

Guimarães (6)No largo da oliveira podemos encontrar o Mosteiro da Nossa Senhora da Oliveira.

Esta igreja foi fundada por D. Afonso Henriques e restaurada no reinado de D. João I, para comemorar a sua vitória na batalha de Aljubarrota, em 1385.

Guimarães (9)Guimarães (7)Depois de uma breve caminhada pelo Largo da Oliveira fui parar à praça de Santiago. Esta praça tem uma casas encantadoras, muito bem preservadas.

Como fui muito cedo, a cidade estava praticamente deserta, e soube muito bem caminhar, sem rumo, por estas ruas.

Guimarães (8)Guimarães (10)Guimarães (12)

Guimarães (11)Fiz todo o centro histórico a pé, e é a melhor maneira de conhecer esta parte da cidade. Perdermos o tempo que for necessário a apreciar a bela arquitectura , os largos, e as suas ruas muito bem cuidados.

Guimarães (13)Guimarães (16)Guimarães (15)Guimarães (14)

Depois de percorrido todo o centro histórico, fui até ao Castelo de Guimarães. A partir do centro histórico é possível chegar ao castelo, facilmente, a pé. Eu não o fiz, porque o tempo que tinha disponível era escasso…

Guimarães (17)

Esta castelo viu nascer o primeiro Rei de Portugal, D. Afonso Henriques.

As muralhas ainda se encontram em muito bom estado de conservação.

Guimarães (23)

Guimarães (22)

O castelo encontra-se localizado no topo rochoso da colina Sagrada, em Guimarães.

Para aceder ao interior do castelo não é preciso pagar nada, mas para subirmos ao topo da torre é necessário pagar (já não me recordo qual era o valor), e subir umas escadas íngremes.

Acabei por não subir, estava bastante calor e fiquei a descansar um pouco as pernas, enquanto os meus companheiros de viagem subiram. Apesar de não ter visto, disseram-me que vale a pena subir, por causa da vista.

Guimarães (19)

Para terminar a visitar a Guimarães, fui até à Penha.

Há um teleférico que faz a ligação da cidade até à montanha da Pena. E foi o meio de transporte que utilizei, para subir e descer a Penha, paguei 4,30€, bilhete de ida e volta.

Guimarães (3)

Guimarães (24)

Apesar de não me ter sentido muito segura dentro de teleférico, correu tudo bem, e cheguei inteira ao topo da Penha 🙂

Lá em cima encontra-se o Santuário de Nossa Senhora do Carmo da Penha.

Guimarães (25)

Além do espaço de culto, existem restaurantes, hotel, parque de campismo, como também rotas pedonais pela montanha.

Depois de contemplada a vista panorâmica da cidade, no topo da Penha, almocei uma saborosa refeição num dos restaurantes disponíveis e segui viagem até Braga 🙂

Guimarães (2)Guimarães